O Teatro

'Nunc est Bibendum', 2000

[‘Nunc est Bibendum’, 2000]

O Teatro do Elefante-acção cultural, crl. (TdoE) é uma cooperativa cultural sediada em Setúbal, e fundada no ano de 1997, que desenvolve atividades no campo artístico e da cultura, designadamente através da criação e produção de espetáculos de teatro e outros eventos culturais. Entre estes eventos, destacamos ações de formação e difusão das artes dramáticas e performativas, de animação sociocultural e comunitária, envolvendo as populações locais. Tem parcerias com entidades e instituições da região, nacionais e internacionais, de que se destacam a ATINJ-Associação Portuguesa de Teatro para a Infância e Juventude e a Fundação Anna Lindh.

A estrutura atribui especial atenção à ligação do coletivo de artistas com a comunidade, bem como à divulgação de obras literárias contemporâneas de origem portuguesa, ou da literatura universal, cuja recriação para adaptação às linguagens específicas do teatro e da atualidade é a marca do seu trabalho dramatúrgico. Nesta linha, foram produzidos espetáculos a partir de ‘Peregrinação’, de Fernão Mendes Pinto; de ‘Nau Catrineta’, da tradição popular portuguesa; de ‘Moby Dick’, de Herman Melville; das obras de Homero; e, em 2013, de ‘A Casa de Eulália’, de Manuel Tiago.

No terreno da animação teatral desenvolve projetos com comunidades desfavorecidas, dos bairros sociais 2 de abril e Bela Vista, em articulação com a Junta de Freguesia de S. Sebastião, bem como no Centro Histórico, com autarquias e entidades da região de Setúbal. A colaboração estende-se ainda a outros níveis institucionais, nomeadamente com o apadrinhamento da Escola básica de 1º ciclo da Ponte Seca, na freguesia do Sado, em Setúbal, que integra o Agrupamento de Escolas Ordem de Santiago.

A infância e a juventude são os públicos-alvo de uma parte importante da sua produção. Dos dezassete anos de atividade regular destacam-se cinco espetáculos, um destes a partir de ‘A Flor vai ver o Mar’, de Alves Redol, uma sessão de poesia e uma exposição itinerante, bem como ‘ABETO-artes para bebés e todos os outros’, todos dirigidos para a primeira infância. Igualmente relevante é a produção de teatro de rua, área em que o TdoE conta com mais de 20 espetáculos e animações, assim como a Mostra ‘Move.AR – Artes de Rua’, que promove com periodicidade anual, entre 2010 e 2013.

No âmbito internacional, o TdoE coordenou ou participou em diversos projetos de Mobilidade para Jovens Artistas europeus, no contexto dos Programas Juventude em Ação, Sócrates e Leonardo da Vinci. Ainda no campo da animação cultural de jovens, o TdoE fundou e integrou, até 2005, a rede europeia ECOSE. Em 2013, fez-se representar em projetos no âmbito do Programa Juventude em Ação em Weimar, na Alemanha e em Turim, na Itália; Em 2014 participa em projetos em Brno, na República Checa; no training course ‘TheatrAbility’, sobre teatro e pessoas com necessidades especiais em Turim; no intercâmbio de jovens artistas sobre ambiente e teatro ‘EcoTheater’, também em Itália; em novembro está em Cluj, na Roménia com o projeto ‘CreARTivity’. Em 2015 participa no intercâmbio de jovens ‘Campo Creativo’ em Jena, na Alemanha; em outubro 2016 participa no intercâmbio ‘Janela Inclusiva’ que junta em Valência jovens em risco de exlusão social, em parceria com a Companhia La Finestra Nou Circ e a APPACDM Setúbal.

Entre diversas participações internacionais, destaca-se o projeto ‘The Great Dragon’s Parade’, no âmbito do Programa Cultura 2000, que integrou entidades de criação e produção artística de Cracóvia e Lodz, na Polónia, Dublin, na Irlanda, de Newcastle Emlyn, no País de Gales, Reino Unido. Em dezassete anos da atividade, o TdoE manteve também uma participação regular em eventos internacionais de que se destacam o BITEF Poliphony, em Belgrado, na Sérvia; a Mostra de artes de rua de Muros, na Galiza, em Espanha; o Mindelact, na ilha de São Vicente, em Cabo Verde; e a Feira de Teatro de Castela e Leão, em Cidade Rodrigo, Espanha, entre outros. Em 2013 integrou, com o GIRA teatro, o ‘Intercâmbio Artístico e Cultural – Brasil e Portugal’, que decorreu em Florianópolis, Estado de Santa Catarina, no Brasil. Em 2015 o projeto ‘TransIbéria’ integra a apresentação do espetáculo ‘A Princesa do Sal’ no festival FITEC de Madrid e ValenCirc de Valência, em Espanha, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian. Em representação da rede portuguesa da Fundação Anna Lindh o Teatro do Elefante apresenta o projeto ‘O Museu Imaginário’, criado por Rita Sales, integrado na ‘2nd Inter-Network Common-Action’ em Tarragona, Espanha. Em 2016 ‘A Princesa do Sal’ regressa a Espanha integrado nos festivais IV Valencirc e Mostra Viva del Mediterrani, em fevereiro de 2017 este projeto é apresentado em Timor Leste, nas cidades de Díli, Baucau e Oe-Cusse, financiado pelas Fundações Oriente, GDA e Calouste Gulbenkian.

Deixar uma resposta