Nau Catarineta

 Ficha Artística e Técnica

Atores | Rita Sales | Inês Mares Fernando Casaca | Ignácio Vilariño

Conceção Plástica | Delphim Miranda Dina Piçarra

Música Original | Carlos Pinto

Dramaturgia e Encenação | Fernando Casaca

 Promoção e Comunicação | Rita Sales | Marlene Aldeia

         Parte integrante do património cultural e do imaginário português, a história do capitão da Catrineta que se encontra com o demónio nas voltas do mar, é apresentada numa encenação que procura ultrapassar os condicionalismos da utilização de uma língua nacional. Não abandona, todavia, as suas raízes ibéricas e, essencialmente, portuguesas.

          Este é o relato da experiência do capitão português que, tendo sido surpreendido por uma forte tempestade, é abordado pelo diabo. Contudo, apesar das promessas e do risco de vida, o bravo capitão não cede o comando da sua nau. Este episódio representa fielmente o esforço e o sofrimento dos homens do mar, perante a fúria das águas e o domínio quase absoluto das ondas sobre os meios de navegação criados pelo Homem.

            Ao longo do trajecto, diversas figuras retiradas desta história de navegadores animam a cidade com o seu colorido, movimento e alegria. As barcas, os diabos e os marinheiros, desfilam através de ruas e espectadores, provocando surpresa e motivando a participação colectiva. O espectáculo tem os seus pontos fortes, em particular nos três momentos em que o desfile é interrompido, dando lugar às peripécias, ao jogo ou, em suma, ao teatro.