Pinóquio e a baleia branca

Teatro para todos

[fotografia Diana Lima]

Sem experiência não há descobertas. Sem descobertas não há aprendizagens.

Este poderia ser, em síntese, o mote para uma conversa (ou um espetáculo de teatro, afinal de contas…) em torno das narrativas sobre Pinóquio. A história foi imaginada por Carlo Collodi, o italiano que, nos finais do século 19, publicou em fascículos esta que viria a tornar-se uma das narrativas mais populares, entre os mais conhecidos contos para a infância. Marioneta construída por Gepeto, a partir de um pedaço de madeira com vontade própria, Pinóquio tem com a escola uma relação muito particular. Aprender, sim. Tornar-se uma criança de verdade, sem dúvida, mas adquirindo antes de qualquer escolarização a experiência e a autonomia, aprendendo com erros e enganos.

A encenação é, todavia, uma opção do encenador.

Em Pinóquio e a Baleia Branca cruzam-se experiências de ensino e parentais, a par das preocupações artísticas e estéticas fundamentais no processo criativo. Neste espetáculo de teatro para a infância que, todavia, se dirige a todos os públicos, cruzam-se disciplinas artísticas tão díspares e complementares como a literatura, o imaginário e a tradição oral. E, ainda, podemos encontrar o cinema, nos objetos projetados, e as artes do circo, na composição de clown da única figura (humana) em palco.

Ao espetáculo não se prevê que cresça o nariz. Criado em tempos de austeridade, política, social e económica, recolhe contributos genuínos dos espetadores que participaram em 6 dinâmicas sessões de experimentação teatral, e de manipulação de objetos, que decorreram no período que antecedeu a sua estreia.


Ficha Artística e Técnica

Criação e Interpretação | Fernando Casaca

Ambiências visuais | Rita Sales

Figuração | Diogo Pinto | Inês Casaca | Ruben Marques

Produção e Comunicação | Marlene Aldeia

Agradecimentos | Lurdes Ferreira, Carlos Santana (imagem da divulgação)

_dirige-se a todos a partir dos 4 anos


20 março 2016 | Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, Braga | integrado no Festival ‘Era uma vez no mês…’

10 maio 2015 | Fórum Municipal Luísa Todi, Setúbal

ESTREIA | 3 maio 2015 | Cine Teatro João Mota, Sesimbra 


[VÍDEO PROMOCIONAL]

Comments are closed