IpiNÊSpês

Teatro para bebés

Diana Quintela

IpiNÊSpês é o segundo espectáculo para bebés, produzido pelo Teatro do Elefante. Nele exploram-se novas perspectivas de jogo teatral, tendo em conta quer o desenvolvimento cognitivo, quer as competências psicomotoras do público para que se dirige.

Na narrativa em torno da qual o espectáculo evolui a relação entre os sons e a música, bem como um jogo permanente entre o corpo, a voz e os objectos, desempenham uma função essencial: dar forma à brincadeira de olhar, ver e observar o universo do ponto de vista do bebé. O mundo visto de baixo para cima e do pequeno para o grande, surge assim aos espectadores com a forma e as dimensões distorcidas dos objectos e do corpo, no teatro. A modelização dos sons vocais e a introdução de trechos musicais, que se articulam num jogo teatral singular, procuram igualmente evidenciar a estranheza e a surpresa das cores e das formas em movimento.

Esta é uma viagem surpreendente, no mundo dos muito pequenos. O espectáculo procura ir ao encontro da origem das coisas, dos mistérios da concepção e da maternidade, pelo que no percurso alimentado por essa motivação podem revelar-se muito grandes surpresas. Afirmamo-lo com toda a confiança, pois nem o facto de IpiNÊSpês constituir a nossa segunda abordagem do universo da primeira infância reduz a descoberta, a novidade e a expectativa. Afinal de contas, a mesma água não passa duas vezes pelo leito do mesmo rio…

Desta feita, abrimos caminhos novos com a introdução de sons, integrando novos objectos sonoros, explorando as várias partes do corpo e, particularmente, a voz – enquanto som, melodia e canção.

É, por assim dizer, em torno da musicalidade, dos ritmos e das tonalidades da própria voz, que o espectáculo evolui, em andamento de gatinhar e de pular, arriscando dar mais um passo na direcção de uma arte para todos e para todas as gerações. Acontece isto, porque acreditamos que o teatro persegue e revela o pleno das nossas vidas, em qualquer momento ou em qualquer idade.


Ficha artística e técnica

Ideia Original e Concepção Plástica | Rita Sales

Dramaturgia e Encenação | Fernando Casaca

Actores | Rita Sales | Fernando Casaca

Fotografia e Vídeo | Escola Superior de Educação de Setúbal | Diana Quintela

Produção e Comunicação | Marlene Aldeia


11 e 12 março 2009 | Centro Social e Paroquial de Santo André, Barreiro

17 maio 2009 | Teatro Extremo, Almada | integrado no ‘Sementes’

18 outubro 2009 | Auditório, Cascais | integrado

24 janeiro 2008 | Casa do Elefante, Setúbal

19 e 27 janeiro 2008 | Fórum Luísa Todi, Setúbal

22 fevereiro 2008 | Colégio Parque do Falcão, Setúbal

6, 8 e 9 de abril 2008 | IPJ Moscavide

8 maio 2008 | Moscavide | integrado na festa final de ano letivo

29 maio 2008 | Parque Urbano de Albarquel, Setúbal

25 junho 2008 | Biblioteca Municipal de Faro

7 setembro 2008 | Mindelo | integrado no ‘Mindelact’

18 outubro 2008 | Paços da Cultura, São João da Madeira

25 outubro 2008 | Espaço Zambujal, Sesimbra

27 novembro 2008 | Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, Évora, Guarda | integrado na inauguração ds Biblioteca

15 dezembro 2007 | Teatro Garcia Resende, Évora | integrado no ‘Festivalinho para o Jovem Público’

18 novembro 2007 | Colégio D.João, Braga | integrado nas comemorações do Natal

3 novembro 2007 | Auditório Municipal Antómio Silva, Sintra

28 outubro 2007 | Fórum Cultural de Alcochete

12 outubro 2007 | Jardim de Infância Santa Casa da Misericórdia

28 julho 2007 | Santa Maria da Feira

9 junho 2007 | Loures

27 maio 2007 | Auditório Teatro, Feijó

17 maio 2007 | Apaia- Ajuda Lisboa

7 maio 2007 | Colégio São Cristovão

1 maio 2007 | Gouveia

21 abril 2007 | Lourinhã

19 abril 2007 | Casa do Povo, Azeitão

25 e 26 agosto 2006 | Cuidad Rodrigo, Espanha

16 e 17 junho 2006 | Tocá Rufar, Seixal | ‘Portugal a Rufar’

12 março 2006 | Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, Baixa da Banheira

11 março 2006 |Biblioteca Municipal Moita | Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, Baixa da Banheira

6 março 2006 | Casa de Artes, Vila Nova de Rodão

4 e 5 março 2006 | Auditório Municipal Augusto Cabrita, Barreiro

Estreia | 3 março 2006 | Casa do elefante, Setúbal

Comments are closed