A Rã Princesa

Conto tradicional russo

‘A Rã Princesa’ é um conto tradicional russo apurado pelo passar dos tempos que transmite uma herança cultural assente na oralidade. A mensagem é transversal e significada para pessoas de gerações, níveis de literacia e proveniências diferencias diferentes. A importância do conto maravilhoso assenta na forma como se expressa simbolicamente e com recurso à fantasia, incentivo a construção do sentido da historia pelos espectadores. Esta é, alias, uma das características da arte: permitir pelo menos tantas interpretações quanto o numero de pessoas dela usufruem.

Esta é uma historia de príncipes e princesas, marcada pela intemporalidade que só aparentemente não se refere à sociedade moderna. Apesar de relatar a vida das personagens, a narrativa desenvolve-se num tempo e num espaço que não são o da nossa realidade, facto importante para que não se confunda o conto com o quotidiano. O conto tradicional refere-se sobretudo às questões internas dos seres humanos, aos seis pensamentos e emoções, exteriorizando-os e ajudando a torna-los compreensíveis.

Esta é uma historia de Príncipes e princesas, marcada pela intemporalidade que só aparentemente não se refere à sociedade moderna. Apesar de relatar a vida das personagens, a narrativa desenvolve-se num tempo e num espaço que não são o da nossa realidade, facto importante para que não se confunda o conto com o quotidiano. O conto tradicional refere-se sobretudo às questões internas dos seres humanos, aos seus pensamentos e emoções, exteriorizando-os e ajudando a torná-los compreensíveis.

O herói de ‘A Rã Princesa’ é o príncipe Ivan, o mais novo de três irmãos que vive um curioso dilema: como poderá aceitar uma rã por companheira, ele, que considera a vida uma coisa seria. Trata-se na verdade de um dilema maior, que um curioso dilema: aceitar uma rã por companheira, ele, que considera a vida uma coisa seria. Trata-se na verdade de um dilema maior, que espelha a angustia e o medo na aceitação da sua maturidade. Certa noite o príncipe Ivan precipita o desenvolvimento da historia e desencadeia uma serie de acontecimentos atribulados. O jovem terá que deixar a casa dos pais e seguir pelo mundo sozinho para conquistar a sua independência. É, contudo, um conto otimista, que demonstra como a passagem para a vida adulta pode ser feita com sucesso, embora com necessidade de ultrapassar alguns obstáculos. A morte, a solidão, o sentimento de perda, são temas a que todos somos sensíveis e que ‘A Rã Princesa’ nos apresenta, num apelo à imaginação, através de imagens e personagens fantásticas.


Ficha Técnica e Artística

Dramaturgia e Narração em Português e Castelhano Rita Sales

Ideia e Conceção plástica Dina Piçarra

Direção artística Fernando Casaca

Produção e Administração Rita Sales

Promoção e comunicação Marlene Aldeia

Responsável Técnico Vasco Silva


1 junho 2011 | Praça S. João Batista, Almada | integrado no Festival ‘Sementes’

25 abril 2011 | Cooperativa de Habitação ‘Bem Vinda a Liberdade’, Setúbal

7 agosto 2010 | Parque Catarina Eufémia, Barreiro| integrado no ‘Parques Vivos 2010’

2, 4 e 5 agosto 2010 | S. Pedro do Sul | integrado no Festival Andanças

2 maio 2010 |  Jardim do Palácio de Cristal,  Porto | integrado no Encontro ATINJ e Festival ‘Fazer a Festa’

2 março 2010 |  Escolinha do Campo, Palmela

10 fevereiro 2010 | St. Peters School, Palmela

ESTREIA | 12 dezembro 2009 | Largo da Ribeira Velha, Setúbal

Comments are closed